origem do cacau

Cerrado baiano

O Cerrado brasileiro é popularmente conhecido como “a savana mais rica do planeta” porque abriga um terço da biodiversidade brasileira.
Cacau e Cerrado não são palavras que você associa normalmente, o que despertou nossa curiosidade desde o início.

Quase a totalidade do cacau produzido no estado da Bahia vem do Sul da Bahia – no Bioma da Mata Atlântica.

A fazenda Estância Solaris está localizada bem no interior do estado, quase na fronteira com 5 outros estados brasileiros e com um clima totalmente diferente do Sul da Bahia. Quando ouvimos falar deste projeto fomos ainda mais seduzidos por sua ambição e suas características únicas.

Bioma Cerrado

O Cerrado abrange cerca de 22% do território brasileiro. Também conhecido como savana brasileira, é o segundo maior bioma do Brasil e da América do Sul. Esse bioma conta com uma vegetação bastante diversificada, que varia das formas campestres às formações florestais densas. Em virtude da grande incidência solar na área abrangida por esse bioma, sua vegetação apresenta cores que variam do tom verde aos amarelados, provenientes do descoramento.

A área abrangida pelo bioma Cerrado localiza-se na região de clima tropical sazonal. Esse tipo de clima apresenta duas estações bem definidas: verões chuvosos e invernos muito secos com umidade do ar nessa época podendo chegar a 15%. Os solos do Cerrado são pouco profundos, drenados e antigos, datados do Período Terciário. O solo do Cerrado é avermelhado e bastante ácido, por possuir alto teor de alumínio. Uma outra característica do Cerrado é de naturalmente e espontaneamente pegar fogo no período da seca com o acúmulo de biomassa seca, de palha, baixa umidade e alta insolação , temperatura e os ventos. As queimadas são até benéficas e fazem parte do ciclo de renovação da vegetação local, mas geralmente ocorrem em pequena escala e causam poucos prejuízos.

Apesar de permitir a reflorestação e preservação do Cerrado, a cultura do cacaueiro nessas novas condições climáticas semiáridas evita doenças fúngicas como a vassoura de bruxa que destruiu a cultura do cacau no Sul da Bahia uns 30 anos atrás.

Fazenda

Estância Solaris

Precursor desse projeto numa plantação inicialmente de 15 hectares, o produtor Antelmo Farias ganhou o entusiasmo do Moisés Shmidt. Acreditando no cacau no Oeste da Bahia e pelo cenário promissor, a agregação ao projeto de uma grande empresa agrícola familiar permitiu intensificar um investimento bastante focado na ponta das tecnologias agrícolas.

Em mais de sete anos de projeto, as áreas plantadas em fase experimental mostraram excelentes resultados. Foram testadas e cultivadas variedades e genéticas que se adaptaram bem ao clima, dando resultado tanto na produtividade quanto na qualidade organoléptica.

Cada árvore e cada loteamento recebe seu próprio QR code para poder monitorar a saúde da planta, seu crescimento e as frutas. Recentemente eles aumentaram a área plantada e investiram num gigantesco viveiro que será a base do seu próximo crescimento em parcerias com os pequenos produtores da região.

Junto com a agência do Banco do Brasil em Riachão das Neves, créditos para produção de cacau foram disponibilizados para incentivar pequenos produtores rurais a plantar cacau plantado junto com outras culturas de ciclos mais curtos. Em um hectare de cacau é possível obter uma renda de R$1.500,00 ao mês, depois de três anos de implantação da cultura.

Adriana Reis em visita com o senhor Moises Shmidt

No futuro, o senhor Antelmo está querendo produzir mel da flor do cacau. O cacau normalmente não é polinizado por abelhas mas manualmente ou por insetos, principalmente pequenas moscas . Porém, no cerrado, existe apenas uma espécie de abelha que poliniza a flor do cacau. O senhor Antelmo já está com os planos de introduzir essa abelha ao lado das plantações para poder produzir esse produto atípico e único, o mel da flor do cacau.

Por conta dessa abordagem inovadora e busca constante de aperfeiçoamento, decidimos sem dificuldade nos associarmos a esse projeto e nos tornarmos parceiros da Fazenda Estância Solaris.

Estabelecer, com o produtor, um protocolo de fermentação e seleção de frutas, seria a realização de um sonho por qualquer chocolatier para dar à sua marca e ao seu chocolate uma identidade de sabor única.

É justamente isso que o senhor Antelmo nos sugeriu e será juntos que trabalharemos nas próximas safras para personalizar o nosso cacau.

PT